Comprar hoje ou daqui a um mês? Saiba como fazer essa escolha

Entender o tempo adequado para comprar o que você deseja pode fazer toda a diferença na gestão da sua vida financeira

Quando estamos discutindo planejamento financeiro, o tempo é um fator essencial. Se você gasta muito dinheiro hoje, pode ter problemas amanhã. Da mesma forma, se você gasta menos dinheiro no presente, vai ter mais dinheiro no futuro. Para controlar o seu orçamento pessoal e conseguir alcançar seus objetivos financeiros, compreender essa relação entre tempo e dinheiro é muito importante.

Vamos imaginar aqui que você tem um objetivo, como, por exemplo a compra de um celular novo. Você sabe que ele custa R$ 1 mil, mas tem uma reserva apenas R$ 500, de forma que ficam faltando R$ 500.

Daí, fazendo uma análise do seu orçamento, você percebe que consegue economizar R$ 100 por mês e, assim, pode conseguir comprar o novo aparelho em cinco meses.

Mas é claro que existe outra alternativa. Você pode buscar outras fontes, como um empréstimo, por exemplo, para conseguir o dinheiro e realizar a compra de forma antecipada. Dessa forma, você ainda paga parcelas mensais, mas não vai ter que esperar para adquirir o produto. A princípio, isso parece a solução perfeita para o problema. Mas será mesmo?

Ainda que do ponto de vista do tempo, um empréstimo pareça a melhor possibilidade, é importante lembrar que, com essa opção, vem o a cobrança de taxas de juros, que vão aumentar o valor inicial. Com isso, ou você vai pagar mais de R$100 mensais ou vai precisar de um número maior de meses para quitar a sua dívida.

Agora, vamos imaginar uma hipótese diferente. Você quer comprar o telefone, daí verifica as suas finanças, e percebe que você tem os R$ 1 mil necessários. Você pode adquirir o celular imediatamente ou esperar por cinco meses.

Caso você escolha pela segunda opção, pode aplicar o seu dinheiro na poupança ou em outro tipo de investimento e, ao final de cinco meses, e, com isso, consegue mais dinheiro ao final do período. Ou seja, você acaba recebendo uma recompensa pelo tempo que esperou, podendo comprar o produto à vista, sem incidência de juros, e ainda ficar com a soma de dinheiro restante.

Com esses exemplos, fica claro que, ao realizar uma compra, você tem duas opções: consumir no presente e pagar no futuro, se tornando um devedor ao pagar juros; ou ainda escolher pagar no presente e consumir no futuro, assumindo uma posição credora ao receber juros.

A verdade é que nessas situações não existe um modo absolutamente certo ou errado de tomar a sua decisão. Mas é importante estar consciente desses dois modos de consumir e pagar para escolher a opção mais adequada à sua situação financeira, seja pagando juros ou recebendo rendimentos. A escolha está nas suas mãos.